LEONEL BRAYNER

 

 

Desenhista e pintor, Leonel Brayner nasceu em Maceió, Alagoas, em 1944.
Começou a se interessar pelas artes plásticas, particularmente desenho e pintura, ainda criança, por influência de sua avó materna, pintora amadora, com técnica aprimorada em sua juventude na Itália. Porém, foi sómente ao final dos anos sessenta que Leonel Brayner se iniciou como profissional da pintura, sob a orientação de seu amigo e pintor Inos Corradin. Na ocasião, o marchand Benjamim Steiner passou a adquirir seus trabalhos, lançando-os no circuito de galerias, colecionadores e leilões em São Paulo e Rio.

No início dos anos setenta, e durante três anos, transferiu-se com mulher e filho para Curitiba, PR, iniciando a sua integração ao atuante grupo de artistas paranaenses, onde se destacavam Carlos Eduardo Zimmermann, Rones Tadeu Dumke e Bia Wouk, entre outros. O intenso trabalho no atelier curitibano, trouxe maturidade à sua pintura, fazendo-o participar ativamente do efervescente movimento cultural da cidade. Sua estada em Curitiba culminou com o nascimento de seu segundo filho e uma importante individual na dinâmica Galeria do Centro Cultural Brasil-Estados Unidos, porto seguro e lançadora dos artistas emergentes daquela época.
Muito embora tenha se iniciado como pintor realista, especialmente de naturezas mortas, foi aos poucos inserindo a paisagem em seu trabalho, procurando adoçar o rigor formal do desenho  com uma atmosfera sutilmente poética. Hoje em dia, trabalha indistintamente com os dois temas, isolada ou conjuntamente.

Em meados dos anos setenta, mudou-se com a família para Salvador, onde continuou desenvolvendo suas tradicionais naturezas mortas, e iniciou uma nova fase  onde a paisagem emerge com mais força, influenciado pelo colorido envolvente da Bahia. Em 1997, participou, como um dos ilustradores da Edição Comemorativa dos 150 Anos de Nascimento de Castro Alves, patrocinado pela Organização Odebrecht. Em 1999, participou ainda, como artista convidado, da exposição “Salvador 450 Anos”, promovida por entidades governamentais e privadas da Bahia.

O resultado de suas atividades já foi mostrado nas seguintes exposições individuais:

1976 – Centro Cultural Brasil-Estados Unidos – Curitiba, PR;

1976 – Galeria Paulo Prado – São Paulo, SP;

1977 – Galeria O Cavalete – Salvador, BA;

1978 – Galaria Acaiaca – Curitiba, PR;

1979 – Galeria Paulo Figueiredo – São Paulo, SP;

1979 – Galeria Kattya – Salvador, BA;

1983 – Galeria Época – Salvador, BA;

1984 – Galeria André – São Paulo, SP;

1985 – Galeria Rastro – São Paulo, SP;

1986 – Galeria Momento-Arte – Curitiba, PR;

1986 -  Galeria Jardim Contemporâneo – Ribeirão Preto, SP;

1987 – Museu Histórico e Cultural de Jundiaí – Jundiaí, SP;

1992 – Salão de Arte de Jundiaí – Artista convidado – Jundiaí, SP;

1995 – Escritório de Arte da Bahia – Salvador, BA;

2001 – Museu Conde dos Arcos – Cidade de Goiás, GO;

2003 – Galeria da Cidade – Fundação Gregório de Mattos – Salvador, BA.
2011 – Lançamento, no Rio de Janeiro, sob o patrocínio da Eletrobrás, do livro “Rio Pena e Pincel”, com pinturas de paisagens daquela cidade e textos de Heloisa Seixas e Ruy Castro.

2012 -   Museu Rodin – Palacete das Artes – Salvador / BA

 

                                          

Para acessar o acervo completo, clique aqui.